Carregando...
Publicado por SeuGado.com Gado

Lagarta que atacou soja Intacta é praga típica do milho, diz Monsanto

Agricultura 19/01 07:01

Segundo a multinacional, infestação foi de Helicoverpa zea e não armigera, como se suspeitava; instituto continua a investigar o caso

 

Novo capítulo do caso de infestação da lagarta em lavoura com soja Intacta RR2, em Chapadão do Céu (Goiás): a Monsanto, detentora da tecnologia, soltou comunicado nesta quinta-feira (18/01) afirmando que o ataque no campo foi da Helicoverpa zea, uma das principais pragas do milho, conhecida como lagarta da espiga. A suspeita era de que a infestação fosse da temida Helicoverpa armígera, que causou um prejuízo bilionário à agricultura brasileira há cinco anos.

 

A multinacional informa ainda que para chegar ao resultado foram aplicadas duas diferentes metodologias, morfológica e molecular, e reforçou a necessidade do Manejo Integrado de Pragas (MIP) no campo como forma de precaução. “É fundamental a adoção do Manejo Integrado de Pragas (MIP), medida essencial para otimização dos resultados das tecnologias Bt, bem como adoção correta das práticas de manejo de resistência de pragas, entre elas a implementação de áreas de refúgio estruturado”, diz a empresa.

 

Semelhança e perigo
 

Segundo o entomologista do Instituto Phytus, Juliano Farias, a confusão entre um tipo e outro de Helicoverpa se deve à grande semelhança entre a zea e a armigera. “A diferenciação se faz ou pela genitália do macho (feita por especialistas) ou metodologia molecular, um trabalho minucioso e que leva tempo”, diz. O Instituto Phytus recebeu parte das amostras coletadas na lavoura de Goiás e ainda não tem nenhuma conclusão sobre o caso. Resultados mais precisos devem sair dentro de um mês, conforme Farias.

 

Por ser uma praga típica de outra cultura da encontrada, o pesquisador afirma que é importante que se monitore o quadro em todo o país. “Por termos registro de apenas um caso, por enquanto, não é motivo para grande alarde. Mas se houver continuidade e começarmos a ver esta praga atacar a soja com frequência, poderemos ter de fazer mudanças de manejo”, diz.

 

Fonte: Revista GloboRural

Comentários
logo-seugado

Para ter acesso completo a esse conteúdo faça login ou cadastre-se grátis.