Carregando...
Publicado por SeuGado.com Gado

EPAMIG implanta banco de germoplasma de palma forrageira no Norte de Minas

07/04/2017 08:44

Ação irá fortalecer as pesquisas com a planta que é fonte de água e energia para o rebanho e se adapta a longos perí­odos de estiagem Belo Horizonte (06/04/2017) - A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG), em parceria com o Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), instalou em fevereiro deste ano um Banco de Germoplasma, com 25 variedades de Palma Forrageira, no Campo Experimental Gorutuba, em Nova Porteirinha. O projeto visa um desenvolvimento sustentável da pecuária na região. A Palma Forrageira surge como uma alternativa para alimentação do gado e manutenção do sistema pecuário no semiárido. Em perí­odos de secas, seu mecanismo fisiológico permite o cultivo em regiões de extrema sequidão. Portanto, pode ser uma saí­da para os produtores que sofrem com prolongadas estiagens e baixa disponibilidade de forragens. De acordo com a chefe geral da EPAMIG Norte, Polyanna Oliveira, o apoio do IPA será de extrema importância para a intensificação das pesquisas com a Palma na região. -A parceria com o IPA representa uma possibilidade de grande avanço na propagação dessa cultura no semiárido mineiro', afirma. Também está em processo de implantação a Rede Mineira de Seleção, Multiplicação e Distribuição da Palma Forrageira (Rede Palma), em parceria com Emater, IPA e Instituto Federal Baiano. Esse projeto dará a oportunidade ao produtor de multiplicar e distribuir os materiais que melhor se adaptarem í  região, criando-se assim uma rede colaborativa para o desenvolvimento do setor pecuário. Além da Rede Palma, a EPAMIG irá promover a comercialização das mudas de acordo com a demanda regional. Biotecnologia Além do Banco de Germoplasma no campo, os materiais genéticos serão conservados e multiplicados no laboratório, neste caso com mudas in vitro. Segundo a coordenadora do laboratório de biotecnologia da EPAMIG Luciana Londe, as pesquisas buscam obter maior eficiência nos métodos utilizados. -As cultivares cedidas serão multiplicadas in vitro, por cultura de tecido, para garantir que cheguem ao campo com qualidade fitossanitária. O próximo passo será o estudo de multiplicação das mudas por biorreatores, tecnologia que acelera a reprodução', explica. Ao todo estão implantadas 25 variedades da Palma Forrageira, que poderão ser comercializadas a partir de 2018. Já no segundo semestre de 2017, estarão disponí­veis as variedades palma gigante e miúda, anteriormente implantadas. Fonte: Epamig
Comentários
logo-seugado

Para ter acesso completo a esse conteúdo faça login ou cadastre-se grátis.