Carregando...
Publicado por SeuGado.com Gado

Diário oficial publica medidas de controle contra a gripe aviária

Editado 10/03/2017 17:07

Uma das exigências é a obrigação da colocação de telas nos aviários O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) publicou no diário oficial, nesta sexta-feira (3/3), a instrução normativa nº 8 para estabelecer medidas para os avicultores brasileiros reforçar o combate í  gripe aviária. O objetivo é reforçar e atualizar o programa de gestão de risco para estabelecimentos aví­colas que têm maior potencial de disseminação de agentes patogênicos no plantel aví­cola nacional. Após 540 dias da publicação da IN, fica proibido o alojamento de novas aves em galpões de corte ou de postura comercial que não possuí­rem tela de isolamento. As malhas das telas não devem ser superiores a 2,54 centí­metros ou outro meio que impeça a entrada de pássaros, animais domésticos e silvestres. Os sistemas de criação ao ar livre, que utilizam piquetes sem telas na parte superior, não são proibidos desde que a alimentação e água sejam obrigatoriamente fornecidas em instalações providas de proteção ao ambiente externo, por tela ou outro meio. Segundo o ministro da Agricultura e Pecuária, Blairo Maggi, as medidas estão sendo tomadas em função do aumento contí­nuo e persistente de casos de influenza aviária em diversos paí­ses do mundo. -Temos que criar condições para evitar que a doença chegue ao paí­s ou para que seja minimizada, cuidando com toda a atenção e fazendo o monitoramento', afirmou Maggi. Os estabelecimentos aví­cola terão 365 dias para apresentem o requerimento de registro no serviço veterinário estadual. Caso não cumpra o prazo estipulado ficará proibido de alojar novas aves. O contato com aves silvestre infectadas é uma das fontes de contaminação com os focos de influenza aviária. De acordo com o MAPA, as exigências estabelecidas para o registro de estabelecimentos aví­colas são baseadas em medidas de biosseguridade, como por exemplo, os cuidados com a ração e água, isolamento das instalações, capacitação de pessoal, controle de pragas, entre outros. Fonte: Revista Globo Rural
Comentários
logo-seugado

Para ter acesso completo a esse conteúdo faça login ou cadastre-se grátis.