Carregando...
Publicado por SeuGado.com Gado

Bacia leiteira e a peleja sem fim

28/04/2017 14:55

A estiagem continua castigando os criadores de gado por causa da falta de alimentos para os animais principalmente no Agreste região que concentra 87% dos produtores de leite do Estado A estiagem continua castigando os criadores de gado por causa da falta de alimentos para os animais principalmente no Agreste região que concentra 87% dos produtores de leite do Estado. -Alguns produtores estão buscando o bagaço da cana-de-açúcar a 600 km de distância em Juazeiro, na Bahia. Os custos de produção triplicam, quando se compara 2012 com 2017', conta o presidente da Sociedade Nordestina dos Criadores, Emanuel Rocha. -As usinas da Zona da Mata de Pernambuco, que seriam mais perto, não têm mais bagaço (da cana) pois estão na entressafra. Já é 6º ano consecutivo da seca', conta Emanuel. Além do alimento mais caro, os produtores chegam a pagar R$ 350 num carro-pipa com água. A estiagem e as suas consequências voltaram a ser discutidas, ontem pela manhã no Fórum Permanente de Convivência Produtiva com as Secas, no Hotel Golden Tulip, em Boa viagem com o tem -Ações do IPA e da Embrapa Seminário', voltadas a essa região de Pernambuco. O tema foi abordado pelo presidente do IPA, Gabriel Maciel, e pelo Chefe Geral da Embrapa Semiárido, Pedro Gama. Segundo Gabriel Maciel, as principais ações do IPA para o semiárido são uma articulação para ajudar a distribuir 30 mil toneladas de milho do governo federal com preço subsidiado aos produtores - com o saco de 50 kg vendido a R$33, enquanto o preço normal é R$ 65 - e a distribuição de 1 mil toneladas de semente de milho para serem plantadas por 100 mil pequenos agricultores. No grão subsidiado pela União, o governo estadual retirou o ICMS da venda e vai colocar a estrutura da Adagro e do IPA para futuros pontos de comercialização do produto. O presidente da Federação da Agricultura do Estado de Pernambuco (Faepe) e do Forúm das Secas, pio Guerra, afirma que as 30 mil toneladas do grão da União destinadas a Pernambuco são -insuficientes'. Há uma estimativa de que seriam necessários cerca de 100 mil toneladas de grão mensais. Pio Guerra considera -muito fraca' a base de informações dobre o clima. -Está chovendo no Rio Grande do Norte e no Ceará. No entanto, o clima continua absolutamente seco e Pernambuco, Paraí­ba e uma parte de Alagoas. Isso exige uma reação de todos, porque uma seca na época da chuva é catastrófica', diz. Ele argumenta que o setor só poderá mitigar os efeitos de uma seca tão prolongada se contar com informações fidedignas sobre previsão climática e de mercado, além de programas governamentais que garantam o abastecimento de água. Fonte: Jornal do Commercio
Comentários
logo-seugado

Para ter acesso completo a esse conteúdo faça login ou cadastre-se grátis.