Carregando...
Publicado por SeuGado.com

A economia Brasileira cresceu 1% no primeiro trimestre na comparação com o trimestre anterior

01/06 17:59

Interrompendo oito perí­odos seguidos de queda, informou o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estaticista) nesta quinta-feira (1º). Em relação ao mesmo trimestre do ano passado, porém, o PIB (Produto Interno Bruto) encolheu 0,4% no décimo segundo recuo seguido. No acumulado de quatro trimestres, a economia encolheu 2,3%. Em valores atuais, o PIB no inicio do ano alcançou R$ 1,6 trilhão. O resultado veio alinhado í s expectativas de analistas consultados pela agência de notí­cias Reuters, que previam crescimento de 1%, em relação aos três últimos meses do ano passado. Já o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, projetava avanço de 0,7% na mesma comparação. A estimativa da FGV (Fundação Getúlio Vargas) era mais otimista, de alta de 1,19%. Em 2016, a economia encolheu 3.6% e o paí­s enfrentou o segundo ano seguido de recessão.[img]https://d2vjc40pgb63dh.cloudfront.net/file/attachment/2017/06/ce3e86a32753fd2a7b86ff5b009c6148_view.png[/img] Após a divulgação, o presidente Michel Temer comemorou o resultado em sua conta no Twitter. "Acabou a recessão! O Brasil voltou a crescer. E com reformas vai crescer mais ainda", disse. Especialistas afirmam, porém, que indicadores importantes, como os investimentos, ainda não estão caindo e é cedo para dizer que o paí­s saiu da crise. Mais cauteloso, o ministro da fazenda, Henrique Meirelles, disse que ainda há um longo caminho até a plena recuperação, mas "estamos na direção correta" Alta foi puxada pela agropecuária O desempenho da economia no primeiro trimestre foi fortemente puxado pelo setor agropecuário, que cresceu 13,4% em relação ao trimestre anterior, com safra recorde de soja e boa colheita de milho. A indústria subiu 0,9%, e o setor de serviços ficou estável. A agropecuária também disparou em relação ao primeiro trimestre do ano passado, com alta de 15,2%. Já a industria sofreu, nessa comparação, queda de 1,1%, e o setor de serviços recuou 1,7% Fonte: UOL
Comentários
logo-seugado

Para ter acesso completo a esse conteúdo faça login ou cadastre-se grátis.