Carregando...
Publicado por SeuGado.com Gado

Sindilat terá projeto para produção de leite A2A2

08/06/2017 14:31

Variedade é destinada a pessoas que apresentam reações alérgicas ao alimento O Sindicato da Indústria de Laticí­nios e Produtos Derivados do Rio Grande do Sul (Sindilat) vai elaborar um projeto-piloto para dar iní­cio í  produção de leite A2A2, destinado a pessoas que apresentam reações alérgicas ao alimento, no Estado. A iniciativa poderá ser desenvolvida em parceria com a Escola Técnica Celeste Gobbato, de Palmeira das Missões. A proposta foi debatida com a direção da instituição de ensino na última sexta-feira, 2, após o IV Fórum Itinerante do Leite, realizado na sede da escola. A médica veterinária Roberta Zí¼ge, da Ceres Qualidade, ficou responsável pela elaboração de uma proposta para dar iní­cio aos trabalhos ainda este ano. "O primeiro passo é fazer o teste de genotipagem dos animais", explica Roberta. A seguir, é necessário rever os acasalamentos e dar preferência a sêmen de touros A2A2. Com 22 vacas em lactação e um total de 40 animais, o perfil do rebanho da escola técnica se assemelha ao de uma propriedade de tamanho médio no Rio Grande do Sul, destaca o secretário-executivo do Sindilat, Darlan Palharini. A entidade também avalia fazer parceria com universidades que possuam rebanho leiteiro. Tendência - Zí¼ge disse, durante o Fórum, que produtores do Paraná, São Paulo, Minas Gerais e Espí­rito Santo já estão fazendo testes genéticos para identificar e segregar os aninais que produzem leite sem a proteí­na que causa a reação alérgica. A novidade, que já é realidade em paí­ses como Austrália e Nova Zelândia, deve chegar ao paí­s em um ano, estima. Na avaliação da técnica, esta é uma oportunidade para produtores e indústria. No Brasil, há pelo menos três laboratórios que já realizam o teste de genoma das vacas para verificar os animais capazes de produzir o leite A2A2. Com isso, explica Roberta, os produtores podem direcionar acasalamentos para obter rebanhos capazes de produzir esse leite em escala. Roberta frisou que oferecer o leite A2A2 implica em ter alto controle sobre a segregação da produção uma vez que ele se destina a pessoas com limitações alimentares. Fonte: Sindilat
Comentários
logo-seugado

Para ter acesso completo a esse conteúdo faça login ou cadastre-se grátis.