Carregando...
Publicado por SeuGado.com Gado

Adama aposta em operações de troca

16/08/2017 09:59

Empresa espera que venda de defensivos com a opção de pagamento em grão cresça nos próximos anos A Adama (lê-se Adamá) vem apostando em operações Barter, em que os insumos são pagos no pós-colheita com os grãos produzidos, para garantir segurança jurí­dica í  empresa e crédito aos agricultores. A indústria de defensivos costuma trabalhar com pagamentos no fim da safra - entre 80% e 90% acontecem dessa forma, segundo a Adama - e o ní­vel de inadimplência da companhia subiu muito nos últimos anos. -A taxa histórica é de 1,5%, mas, hoje, dependendo de como você olha o número, fica entre 15% e 20%. Estamos passando por um momento crí­tico no que diz respeito a recebimentos', diz Rodrigo Gutierrez, presidente da Adama Brasil. Uma das saí­das para o momento de crédito restrito, segundo a multinacional, é recuperar a força que as operações de troca atingiram no iní­cio dos anos 2000. -Para o agricultor, é bom, porque está na moeda dele, ele já sabe quanto da produção final será de custos. E, para nós, garante segurança', afirma Gutierrez. Segundo ele, operações do tipo representam 10% a 15% do total na Adama hoje, mas o objetivo é que cheguem a 30% no médio prazo. Porém, ainda há muita resistência por parte do agricultor em optar por esse modelo, já que existe o receio de fixar o preço do grão agora e ele subir durante a safra. -Por isso, temos operações com opções de alta e baixa'. Abaixo, em entrevista ao Portal DBO, ele explica como funcionam as operações e os custos, riscos e vantagens envolvidos. Fonte: Portal DBO
Comentários
logo-seugado

Para ter acesso completo a esse conteúdo faça login ou cadastre-se grátis.