Carregando...
Publicado por SeuGado.com Gado

Pequenos laticí­nios do RS investem R$ 30 mi ao ano

31/08/2017 09:55

Segundo Apil-RS, montante aplicado no Estado desde 2015 chega a R$ 130 milhões Até o ano que vem, os pequenos laticí­nios do Rio Grande do Sul devem injetar R$ 130 milhões no setor, conforme projeção da Associação das Pequenas Indústrias de Laticí­nios do RS (Apil-RS), feita na manhã desta quarta-feira, 30, durante coletiva de imprensa na 40ª Expointer, em Esteio, RS. A Apil, que inaugurou nova sede no Parque Assis Brasil (onde ocorre a mostra agropecuária), informou ainda que o segmento vem investindo em média R$ 32,5 milhões por ano desde 2015. Atualmente, a entidade é responsável pela maior parte do queijo e por 18% do processamento de leite no Rio Grande do Sul. O presidente da Apil-RS, Wlademir Dall'Bosco, disse que de três anos para cá mais de R$ 100 milhões foram investidos em plantas, equipamentos e em assistência técnica nas agroindústrias associadas. "A previsão para 2018 é que cerca de R$ 30 milhões sejam injetados por meio de projetos de desenvolvimento no setor", comentou. Os investimentos foram motivados, em parte, por causa da acirrada concorrência dos lácteos de paí­ses do Mercosul. Segundo Dall'Bosco, com a baixa no consumo do leite e derivados no RS, a globalização da economia e a abertura das fronteiras para o produto lácteo no Brasil, "surge a necessidade de um novo modelo produtivo na cadeia do leite", disse. Ele citou, ainda, que com a importação brasileira de leite em pó em torno de 100 milhões de litros do Mercosul houve uma queda no consumo do produto nacional, o que gerou um excedente "100% perecí­vel", destacou. "Entra um produto importado mais barato que o nosso, o que nos força baixar o preço muito aquém ao custo de produção, que atualmente se aproxima de R$ 1 o litro", disse Dall'Bosco. "Portanto, é preciso produzir com qualidade, buscar produtividade, escala para produção do negócio e sustentabilidade no mercado, aliado í  redução de custos. E reduzir custos só se consegue oferecendo tecnologia e genética para o produtor, juntamente com a sua capacitação", complementa. Fonte: ESTADÃO CONTEÚDO
Comentários
logo-seugado

Para ter acesso completo a esse conteúdo faça login ou cadastre-se grátis.