Carregando...
Publicado por WhatSGado Messenger

Tecnologia aplicada ao gado Nelore

Genética e Reprodução 30/11/2017 03:11

Pesquisadores, pecuaristas e estudantes debatem novas tecnologias aplicadas a criação de gados nelore

As novas tecnologias aplicadas ao potencial de reprodução e produção bovina da raça Nelore foi assunto de debate na Feira TecnoAgro, na manhã deste sábado (25), em Vitória. O espaço foi marcado por trocas de experiências sobre o setor pecuarista entre pesquisadores, pecuaristas e estudantes.

 

O painel, mediado pelo secretário de Agricultura de Castelo, Diogo Vivacqua, e participação do professor de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Viçosa (UFV) José Domingos Guimarães, e do presidente da Associação Capixaba dos Criadores de Gado Nelore (ACCN), Nabih Amin El Aouar, abriu o dia de debates da TecnoAgro, evento realizado pelo jornal A Gazeta.

 

A agropecuária é a única atividade agrícola que está presente em todos os municípios do país, é o que afirmou o palestrante e presidente da Associação Capixaba dos Criadores de Gado Nelore(ACCN), Nabih Amin El Aouar. Segundo Amin, isso só confirma a importância da pecuária para a economia brasileira.

 

“Se hoje interrompermos a pecuária no país, 49% das outras atividades seriam impactadas”, e ainda complementou: “a pecuária não é só corte, é também base para medicamentos e outros produtos, como a gelatina”, explicou o presidente.

O gado da raça Nelore e Anelore somam um total de 80% dos gados de corte no Brasil. Para Amin, a justificativa para este número é simples: “são espécies que possuem em suas características físicas, como pelagem e porte, uma fácil adaptação a climas tropicais. Além disso, o nelore possui uma carcaça retangular, diferentemente de gados leiteiros, o que proporciona uma facilidade de corte”.

 

Para o também palestrante, o professor Medicina Veterinária da Universidade Federal de Viçosa (UFV) e especialista em reprodução e produção animal, José Domingos Guimarães, o gado Nelore se destaca pela qualidade da carne.

 

“A gordura forma uma fina camada na capa, o que significa uma carne mais magra, saudável e saborosa”, declarou. O professor explica que as novas tecnologias de reprodução também interferem nesse sentido.

Segundo Domingos, às inovações tecnológicas permitem que o período de gestação seja reduzido fazendo com que o gado seja abatido com até 24 meses, o que antes demorava cerca de 4 anos. Estas técnicas têm como resultado uma carne mais macia e atrativa para os mercados internacionais.

 

Espírito Santo tem grande potencial no ramo

 

A produção de gado Nelore no norte do estado é um grande potencial. “O estado é pequeno e isso é uma vantagem para o controle de fronteiras e para a escoagem do produto”, avalia Domingos. No entanto, ele destaca que ainda existem desafios. “Para despontarmos na exportação precisamos superar as barreiras sanitárias”.

 

A estudante de Medicina Veterinária Carolina Melo em debate da TecnoAgro
A estudante de Medicina Veterinária Carolina Melo em debate da TecnoAgro
Foto: Thamara Machado

A estudante de Medicina Veterinária, Carolina Melo, de 22 anos, esteve presente na palestra e concorda com a fala de Domingos. Ela acrescenta que para evoluir na produção do gado é necessário investimento em tecnologia.

 

“Existem alguns costumes enraizados na produção de bovinos que impedem o crescimento. Temos que aliar tecnologia, mas sem esquecer o básico, aquele ‘papel e caneta na mão’ do qual Domingos falou”. Para a estudante, além de agregar conhecimentos, o evento também é uma ótima para ter contato direto com produtores rurais e pesquisadores da área.

Fonte: Gazeta Online

Foto de capa: Thamara Machado

Curtiram
Comentários
logo-seugado

Para ter acesso completo a esse conteúdo faça login ou cadastre-se grátis.